Jonathan Meese: In art you have to go too far

Vidéo

art art art art

Publicités

just another vendredi soir

Par défaut

era começo era esperado

vinha sem nenhum combinado ou box 

veio sem pedir licença, ou com meio termos

chegou chegando… 

just dancing, dancing

just like in the movies

just because isso imita our lives.

« Ten decisions shape your life
You’ll be aware of five about
Seven ways to go trough school
Either you’re noticed or left out
Seven ways to get ahead
Seven reasons to drop out

When I said « I can see me in your eyes »
You said « I can see you in my bed »
That’s not just friendship, that’s romance too
You’re like music we can dance to… »

Tatiares

Basculer le tempo

Par défaut

La récolte d’un temps

                                  assez contemporain,

nouvelles aspirations d’un même esprit

dans le mouvement des vagues

au rythme des voies urbaines.

Chaque regard, un bref coup d’une lumière curieuse.

La chaleur d’une nuit,

                  une promenade, un champs,

                     une parole assez connue,

                     une dichotomie,

                                              quelques arbres,

                               Zénon avec deux pierres,

                                               une rivière

                                                          et l’infini.

Les regards totalement à l’aise.

L’état d’un été farci

avec les meilleurs heures,

celles choisies.

Tatiares

Quem sou eu ? Ferreira Gullar

Par défaut
Quem sou eu?

Quem sou eu dentro da minha boca?
Quem sou eu nos meus 
dentes
detrás dos meus dentes
na língua que se move
presa no fundo da 
garganta? que nome tenho
na escuridão do esôfago?
no estômago
na 
química dos intestinos?

Quem em mim secreta
saliva? 
excreta
fezes?
quem embranquece em meus cabelos
e vira pus nas 
gengivas?
Quem sou eu
ao lado da Biblioteca Nacional
tão frágil, meu 
deus, na noite
sob as estrelas?
e no entanto impávido!
(a mexer no 
armário de roupas
num apartamento da rua Tenente Possolo
em 1952
vivo a 
história do homem).

J’irai sous la 
aterre
et toi, tu marcheras dans le soleil.

Tudo o que sobrará 
de mim
é papel impresso.

Com um pouco de manhã
engastado nas 
sílabas, é certo, mas
que é isso
em comparação com meu corpo real? 
meu
corpo
onde a alegria é possível
se mãos lhe tocam os pêlos
se 
uma boca o beija
o saliva
o chupa com dois olhos brilhantes?

E sou 
então 
praia vento floresta
resposta sem pergunta
o eixo do corpo
na 
saliva dourada
giro
e giramos
com o verão que se estende por todo o 
hemisfério sul

Como dizer então: pouco
me importa a morte?
E 
sobretudo se existem as histórias em quadrinhos
e os programas de 
televisão
que continuarão a passar noite após noite
no recesso dos 
lares
numa terça-feira que antecede à quarta
numa quinta-feira que 
antecede à sexta
ou num sábado
ou num domingo.
Como dizer
pouco me 
importa?